Skip to content

A quantidade de real no impossível

Fevereiro 1, 2017
Queda de Robespierre na Convenção (Julho 1794), por Max Adamo Sturz

Queda de Robespierre na Convenção (Julho 1794), por Max Adamo @ Alte Nationalgalerie – Berlim

«A grandeza da Convenção foi procurar a quantidade de real que existe no que os homens chamam o impossível. Numa das extremidades, Robespierre tinha os olhos fitos no direito; na outra extremidade Condorcet tinha os olhos fitos no dever.
Condorcet era um homem de meditação e claridade; Robespierre um homem de execução; e algumas vezes nas crises finais das sociedades velhas, execução significa extermínio. As revoluções têm as duas vertentes, subida e descida, e têm nestas vertentes todas as estações, desde o gelo às flores. Cada uma das zonas produz os homens que convêm ao seu clima, desde os que vivem no sol aos que vivem no raio.»

Noventa e Três, Victor Hugo (Trad. Maximiano Lemos Júnior, Ed. Portugália, p. 148)

Anúncios
No comments yet

Preencha o vazio:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: