Skip to content

O marquês e o mendigo

Janeiro 27, 2017

«O marquês olhou para o mendigo.
– Escute, senhor marquês, a minha casa não é bonita mas é segura. Uma cabana mais baixa que uma caverna. Por soalho um molho de sargaço, por tecto ramos e ervas. Venha. Na granja seria fuzilado. Em minha casa dormirá. Deve estar cansado e amanhã pela manhã, os azuis devem continuar a marcha e então poderá ir para onde quiser.
O marquês examinava este homem.
– De que partido é o senhor? – perguntou o marquês – é republicano? é realista?
– Sou um pobre.
– Nem realista, nem republicano?
– Creio que não.
– É a favor ou contra o rei?
– Não tenho tempo para isso.
– Qual é a sua opinião a propósito do que se está passando?
– Não tenho com que viver.
– No entanto, veio em meu auxílio.
– Vi que estava fora da lei. Que vem a ser a lei? Pode-se estar fora dela. Não compreendo. Pelo que me diz respeito, estou dentro da lei? Estou fora? Não sei. Morrer de fome, será estar dentro da lei?
– E há quanto tempo tem fome?
– Toda a minha vida a tenho tido.
– E vem salvar-me?
– Venho.
– Porquê?
– Porque disse: Alguém há mais pobre do que eu. Eu tenho o direito de respirar. Ele não tem.
– É verdade. E salva-me.
– Sem dúvida. Eis-nos irmãos, monsenhor. Eu peço pão, V. Exa pede a vida. Somos dois mendigos.
– Mas sabe que a minha cabeça foi posta a prémio?
– Sei.
– Como o sabe?
– Li o cartaz.
– Sabe ler?
– Sei. E escrever também. Porque havia eu de ser analfabeto?
– Então já que sabe ler, e leu o cartaz, sabe que o homem que me entregar ganhará sessenta mil francos?
– Bem sei.
– Não em notas.
– Bem sei; em ouro.
– Sabe que sessenta mil francos são uma fortuna?
– Sei.
– E que quem me entregar fará a sua fortuna?
– E que tem isso?
– A sua fortuna.
– Foi exactamente o que eu pensei. Vendo V. Exa disse para mim: Quando me lembro que quem entregar aquele homem ganhará sessenta mil francos e fará sua fortuna! Vamos escondê-lo.
O marquês seguiu o pobre.

Noventa e três, Victor Hugo (Trad. de Maximiano Lemos Júnior, Ed. Portugália, pp. 81-82)

Anúncios
4 comentários leave one →
  1. Janeiro 27, 2017 23:08

    :)*

    Gostar

    • Janeiro 27, 2017 23:41

      Belo diálogo, nao?
      E não conto o que fez depois o marquês. Foi feio.

      Gostar

  2. Janeiro 27, 2017 23:41

    Gostar

Preencha o vazio:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: