Skip to content

A selva

Setembro 16, 2016
© MCS

© MCS

12 comentários leave one →
  1. Setembro 16, 2016 21:41

    mete-te nas ruínas e nas invasões e, não tarda, estás nos pescadanumero5.blogspot.pt🙂

    Gostar

    • Setembro 16, 2016 23:01

      Foi um acaso, mas reconheço que as ruínas têm um apelo estético que fica bem num postal🙂

      Gostar

  2. pedro matos permalink
    Setembro 16, 2016 22:55

    Isto não são as termas das Caldas ao abandono?

    Gostar

    • Setembro 16, 2016 23:02

      Nao, nem conheço. Caldas de Vizela?

      Gostar

  3. pedro matos permalink
    Setembro 16, 2016 23:10

    Pensava nas da Rainha (Hospital Termal, melhor dito), mas já vi que me enganei.
    A última vez que lá passei estava em muito mau estado.

    Fotografias aqui:

    Hospital Termal das Caldas da Rainha, ao abandono.. #OnePluslife #Portugal #caldasdarainha

    A photo posted by RodrigoMMartins (@rodrigo_martins92) on

    ou aqui:

    Gostar

    • Setembro 16, 2016 23:55

      Ah, estas conheço, passei lá há uns anos. Ainda nem tinha blog, mas não tirei fotos🙂

      Gostar

  4. pedro matos permalink
    Setembro 16, 2016 23:15

    Pensava nas da Rainha (hospital termal, melhor dito)…, mas já vi que me enganei.

    Fotografias aqui:

    Hospital Termal das Caldas da Rainha, ao abandono.. #OnePluslife #Portugal #caldasdarainha

    A photo posted by RodrigoMMartins (@rodrigo_martins92) on

    ou aqui, por exemplo:

    Gostar

  5. pedro matos permalink
    Setembro 16, 2016 23:18

    Pensava nas da Rainha (Hospital Termal, melhor dito)… Dá umas parecenças, mas já vi que me enganei.

    A última vez que lá passei estava abandonado e muito degradado.

    Gostar

  6. pedro matos permalink
    Setembro 16, 2016 23:20

    Peço desculpa pelas repetições, pensei que tinha falhado o post.

    Gostar

    • Setembro 16, 2016 23:57

      Não há problema, como tinha dois links o wordpress pensou que fosse spam e mandou para a pasta respectiva. Fui lá recuperá-los.

      Gostar

  7. Setembro 16, 2016 23:26

    Marco,

    o apelo das ruínas é, de facto, o apelo da vida, jamais o do postal para turista ver..
    (mas eu nunca fui uma guia-intérprete culturalmente correcta, sequer social, ou politicamente falando)
    😀

    Gostar

  8. Setembro 17, 2016 00:03

    Sim, para turista pode não ser, mas para a fotografia (era nisso que pensava quando falei em postal) é apelativo. Daí ter falado em apelo estético. Na foto em causa interessou-me porque esta casa na última vez que tinha lá passado era habitada. Pensava eu que tinha passado lá há pouco tempo, afinal já está coberta de mato. Como diria a Marguerite, o Tempo, esse grande escultor🙂

    Gostar

Preencha o vazio:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: