Skip to content

“Jogos Radicais”

Abril 14, 2016

«CRIME PERFEITO

O meu gato branco gosta de brincar
com os papéis amachucados
que deito no lixo. Tira-os do caixote
e esconde-os no odor dos ratos, nos vasos
de flores, pelo quintal. Já fiz desaparecer
muitos poemas que não gostava
assim, sem indícios.»

Jogos Radicais, Teresa M. G. Jardim (Ed. Assírio & Alvim)

Anúncios
11 comentários leave one →
  1. Abril 14, 2016 19:20

    Eu bem digo que a bloga anda carregada de poesia, sob a aparência de leveza: falo pelo comportamento do Caioletto Mikado Penela Leitão, Caio para as 3 cá de casa, que fazia desaparecer todas as nozes da taça (descobrimos que as guardava em qualquer tipo de calçado: pantufas, botas, sapatos, sandálias, desde que que tivessem a frente fechada, tudo, excepto chinelos de enfiar no dedo).

    Acho que me enganei no comentário: o Caio era poético 🙂

    A corroborar o facto está também a soneca sobre o “ó meu deus de Vasconcelos?” que eu relia, à época, e deixava em repouso no parapeito da janela da cozinha 🙂

    Gostar

  2. Abril 14, 2016 21:26

    Num percebi nada.
    E também me estou a borrifar para a poesia na bloga.

    Gostar

  3. Abril 15, 2016 19:36

    oh que caneco, Marco, senta-te devagarinho e lê 🙂

    o Caio, o primeiro gatinho queos acompanhou aqui e já morreu, adorava poesia, a saber: encaixava a forma natural mais próxima do cérebro dentro de todo o calçado disponível (desculpa, mas isto é poético ; depois, adorava dormir as suas sonecas sobre os meus Cesariny 🙂

    _____
    ok, podes chamar-me parva, eu não me importo 😛

    Gostar

    • Abril 15, 2016 23:16

      Ah agora percebi! Os gatos são os verdadeiros poetas, por isso, nada tem de parvo o que disseste. E também são uns grandes poseurs 🙂

      Gostar

  4. Abril 16, 2016 00:15

    desde menina, tudo o que me apetece é esganifrar gatinhos 🙂
    aquela (in)diferença, ahh! 🙂

    Gostar

    • Abril 16, 2016 14:48

      Se o Partido dos Animais lê este teu comentário vais de cana 🙂

      Gostar

  5. Abril 17, 2016 01:52

    cama, mesa e roupa lavada? vinde, vinde 🙂 pagai, pagai 🙂

    Gostar

Trackbacks

  1. O acto de ler reabre feridas | No Vazio da Onda

Preencha o vazio:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: