Skip to content

O colchão

Julho 21, 2015

Vou contar uma história a propósito de alemães.

Há uns anos, quando acabei o liceu, fui trabalhar para um hotel. Importa referir que era um hotel de 4 estrelas para se ter uma ideia do tipo de clientes, ou seja, não eram pés-rapados. Certo dia vejo um casal de alemães a gamar um colchão (era o último dia da estadia deles, very typical). De início nem me passou pela cabeça que estavam a roubar, mas rapidamente percebi que era mesmo gamanço. Então, fiquei a alguma distância para não me verem e fui controlando o acto.

O jardineiro do hotel vem ter comigo e diz-me que estava ali alguém a gamar um colchão. “Eu sei, calma, deixe-os estar”, respondi. Deixei que chegassem ao carro que estava no parque de estacionamento, isto após terem saltado uma cerca de arame quando existia uma porta ao lado (nabos). Quando já estavam a tentar dobrar o colchão para caber na mala da carrinha, chego ao pé deles e digo num tom de voz bem rude e em português: “agora, vão pegar nisso e voltar a pôr no sítio!”. Olharam um para o outro feitos anjinhos, como quem diz, “fizemos algo de errado?” e repetiam “was, was?”. Farto do teatro rafeiro disse, “nem vaso, nem meio vaso, quero o colchão no sítio e rápido”. Acrescentando a única palavra que sabia dizer em alemão (benditos documentários sobre a Segunda Guerra) “Schnell, schnell!”, enquanto apontava com o braço estendido para o hotel.

Agora imagine-se a cena, eu de braço esticado para a frente e a dizer bem alto a uns alemães, schnell, schnell… épico! E lá foram eles todos envergonhados e com o rabo entre as pernas pôr o colchão no sítio. Resta-me acrescentar que foram de longe os clientes mais antipáticos de todo o Verão.

Anúncios
4 comentários leave one →
  1. Julho 21, 2015 18:28

    Apesar de não te conhecer ao vivo e a cores, este registo em P&B é muito colorido.
    Estou mesmo a imaginar-te, um lambão do Sul (ai se eles soubesses), um saca euros dos alemães, gesticulando “Schnell, schnell!”.

    Assentar-lhes com um “Raus!!”, à saída, também ficaria bastante catita 🙂

    __
    comigo, a ‘aprendizagem’ vem dos imigras da família, tudo lambões e saca euros do Sul 🙂

    Liked by 1 person

    • Julho 21, 2015 21:38

      Juntamente com alguns portugueses, foram os únicos que nunca deram gorjetas. Isto anda tudo ligado há muitos anos 🙂

      Gostar

  2. anónimo permalink
    Julho 21, 2015 20:16

    por acaso estava a ler e a ver a cena à minha frente , muito boa a descrição.

    Liked by 1 person

    • Julho 21, 2015 21:40

      Gracias 🙂
      Foi um Verão bem divertido e de boas memórias.

      Gostar

Preencha o vazio:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: