Skip to content

Um gato dado a estupefacientes

Junho 1, 2012

«Ieguene mexeu-se, como quem espanta o frio. Deu pela sensação de um roçar contra as pernas, ouviu um ronrom, era o gato. Onde estaria ele escondido? Baixou-se, para o apanhar, sentou-o nos joelhos e pôs-se a afagar-lhe o pêlo. O animalzito ronronava, de olhos fixos nele, à espera que lhe desse qualquer coisa. Ieguene divertira-se um dia dando-lhe uma minúscula bolinha de haxixe, e desde então, sempre que surgira a ocasião, recomeçara a brincadeira. Era seguramente o único gato do mundo dado a estupefacientes. Parecia ter tomado gosto por esta espécie de gulodice; começava a enervar-se e a querer arranhar. Ieguene via-se em delicada situação; só tinha um bocadito de droga, coisa pouca, e não ia agora partilhá-lo com o gato. As fantasias, que diabo, têm os seus limites. Mas como explicar tal coisa ao gato?» (pp. 52-53)

Mendigos e altivos [Mendiants et Orgueilleux], Albert Cossery (Tradução de Júlio Henriques, Ed. Antígona)

4 comentários leave one →
  1. Joe permalink
    Junho 1, 2012 21:22

    que diabo… boa dica, obrigado.

    Gostar

    • Junho 1, 2012 21:55

      Espero que a boa dica seja literária e não felina 😉

      Gostar

  2. Joe permalink
    Junho 2, 2012 14:22

    ehehheh literária sim… quando voltar à pátria vou procurar 🙂

    Gostar

    • Junho 2, 2012 17:07

      Julgo que não terá dificuldades em encontrar.

      Gostar

Preencha o vazio:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: