Saltar para o conteúdo

“Como roubar um milhão”

Novembro 12, 2011

 

The Fortune Cookie” (1966), Real. Billy Wilder

A história é simples. Um operador de câmara de TV (Jack Lemmon), depois de ter sido abalroado por um jogador durante uma partida de futebol americano, deixa-se convencer pelo cunhado (Walter Matthau), um advogado manhoso, para que finja ter lesões muito maiores e assim receberem uma choruda indemnização. Mas as coisas não correm como lá muito bem, ou melhor, até correm, depende da ética, da consciência e da personalidade de quem vê. É o primeiro trabalho desta dupla que devido ao sucesso deste filme levou a que participasse em mais 10.

A frase que serve de referência e mais vezes dita no filme: «Podes enganar todas as pessoas durante algum tempo; podes mesmo enganar algumas pessoas durante todo o tempo; mas não conseguirás nunca enganar toda a gente durante todo o tempo!» A que o tal advogado manhoso responde: “Lincoln? Grande presidente, péssimo advogado.”

Agora que está a decorrer um processo mediático num tribunal português, ver um advogado deste calibre usar de todos os truques e artimanhas possíveis para ludibriar a companhia seguradora, não deixa de ser didáctico.

Algumas pérolas:

He’s so full of twists. He starts to describe a donut and it comes out a pretzel.

– Well don’t you think we better wait ‘til we see some of that insurance money?
– Wait? Who waits nowadays? Take the government. When they shoot a billion dollars worth of hardware into space, do you think they pay cash? It’s all on the Diner’s Club!

– All these newfangled machines. Fake! It proves nothing. In the old days, we used to do these things better. The man says he’s paralyzed, we simply throw him in the snake pit. If he climbs out, then we know he’s lying.
– And if he doesn’t climb out?
– Then we have lost the patient, but we have found an honest man.

2 comentários leave one →
  1. Novembro 12, 2011 20:51

    E o que eu gosto de Walter Matthau, caros senhores!

    Gostar

    • Novembro 13, 2011 01:10

      E o que eu gostei quando ele disse ao J. Lemon enquanto este, eufórico, dançava na cadeira de rodas, depois de saber que a ex-mulher regressava: “Acalma-te, Nureyev, vais dar cabo da bateria”.

      Gostar

Preencha o vazio:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers gostam disto: