Skip to content

“O Tempo das Suaves Raparigas e Outros Poemas de Amor”

Setembro 20, 2010

«ORLA MARÍTIMA

O tempo das suaves raparigas
é junto ao mar ao longo da avenida
ao sol dos solitários dias de dezembro
Tudo ali pára como nas fotografias
É a tarde de agosto o rio a música o teu rosto
alegre e jovem hoje ainda quando tudo ia mudar
És tu surges de branco pela rua antigamente
noite iluminada de nuvens ó melhor mulher
(E nos alpes o cansado humanista canta alegremente)
“Mudança possui tudo”? Nada muda
nem sequer o cultor dos sistemáticos cuidados
levanta a dobra da tragédia nestas brancas horas
Deus anda à beira de água calça arregaçada
como um homem se deita como um homem se levanta
Somos crianças feitas para grandes férias
pássaros pedradas de calor
atiradas ao frio em redor
pássaros compêndio de vida
e morte resumida agasalhada em asas
Ali fica o retrato destes dias
gestos e pensamentos tudo fixo
Manhã dos outros não nossa manhã
pagão solar de uma alegria calma
De terra vem a água e da água a alma
O tempo é a maré que leva e traz
o mar às praias onde eternamente somos
Sabemos agora em que medida merecemos a vida»
(…)
O Tempo das Suaves Raparigas e Outros Poemas de Amor, Ruy Belo (Ed. Assírio & Alvim)

Anúncios
2 comentários leave one →
  1. Cristina Gomes da Silva permalink
    Setembro 20, 2010 15:51

    Muito Belo, como sempre. 🙂

    Gostar

    • Setembro 20, 2010 16:00

      Belíssimo. É da colecção “Gato Maltês”.

      Gostar

Preencha o vazio:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: